QUEM É JESUS?


QUEM É JESUS?

Mateus 8:23-27


“Então, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormia. Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: Senhor, salva-nos! Perecemos! Perguntou-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé? E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança. E maravilharam-se os homens, dizendo: Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”


“Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mat.16:13-18.


“E, entrando ele em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, e perguntavam: Quem é este? E as multidões clamavam: Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia.” (Mateus 21:10-11)


EXÓRDIO:


Os discípulos andavam com Jesus, estavam com Jesus, mas não sabiam quem era Jesus. Desfrutavam das benesses e dos benefícios; dos milagres, das curas, da multiplicação dos pães e peixes; presenciavam e contemplavam os poderes sobrenaturais de Jesus, mas não sabiam quem era Jesus.


Assim o mundo moderno continua a caminhar, a viver e presenciar os milagres de Jesus, mas não sabe quem é Jesus. A religião não revela a pessoa e a obra de Jesus; apenas o Evangelho da Graça de Deus é capaz de fazê-lo. É preciso conhecer e saber quem é Jesus!


FUNDAMENTAÇÃO:


Podemos perceber que mesmo estando junto com o Senhor, os discípulos não o conheciam, pois a cada palavra dita, a cada ação e a cada milagre realizado, eles e toda a multidão questionavam: Quem é este?


Quem é este que nos traz palavras capazes de mexer com nosso intimo; quem é este cujas ações e reações fogem da maneira natural do mundo; quem é esteque coloca o mar e o vento sob sua completa submissão? No caminho de Emaús, quando Jesus apareceu a dois discípulos, podemos ver na afirmação deles a falta de conhecimento e a incredulidade na pessoa de Jesus Cristo: “Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel; mas, depois de tudo isto, é já este o terceiro dia desde que tais coisas sucederam” (Lucas 24:21).


Tudo que estava acontecendo naqueles dias estava totalmente dentro da conformidade e dos planos de Deus e os discípulos não foram pegos de surpresa, pois durante seu ministério, o Senhor nunca deixou de lhes anunciar “que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia” (Mateus 16:21).


O apóstolo Paulo testemunhou em Antioquia: “Pois, os que habitavam em Jerusalém e as suas autoridades, não conhecendo Jesus nem os ensinos dos profetas que se lêem todos os sábados, quando o condenaram, cumpriram as profecias” (Atos 13:27).


O povo de Israel tinha conhecimento de que haveria de vir o Messias, mas não o reconheceram (João 1:11): Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. O povo esperava alguém diferente, alguém que os liderasse de uma forma diferente, alguém que os livrasse do jugo romano, alguém que pudesse fazer uma revolução no país e no mundo pelo poder da espada, alguém que pudesse dar o seu sangue em prol da luta pela liberdade. Mas Jesus Cristo veio liderando seus discípulos com humildade e preparando-os para dar sequência ao seu ministério.


Jesus Cristo veio para livrar o povo do jugo do pecado; veio para fazer uma revolução no íntimo de cada pessoa, regenerando-a pela revelação de Sua Palavra; veio para dar o seu sangue em prol da remissão do pecado, libertando-nos completamente das garras de Satanás e da condenação eterna. Infelizmente o mundo O não conheceu e não conhece Jesus: “pois o Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu” (João 1:10).


Quem é este? Será que as pessoas têm verdadeiramente conhecimento de quem é esta pessoa que é o centro dos 66 livros da Bíblia? De Gênesis a Apocalipse o Espírito Santo tem prazer em revelar a pessoa e a obra de Cristo. A Bíblia nos mostra muitos títulos pertencentes a Jesus Cristo e todos eles com um significado muito especial: O Caminho, A Verdade, A Vida, o pão da vida, O Messias, O Advogado junto ao Pai, O Salvador, O Redentor, o Filho de Deus, o Bom Pastor, o Senhor, O Sumo Sacerdote, O Príncipe da Paz, O Conselheiro, O Pai da Eternidade, A Porta, a Luz do mundo, o Pão da Vida, a Fonte da Água da Vida, o Cordeiro de Deus, a Ressurreição e a Vida, o Alfa, o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim, a brilhante estrela da manhã, o Verbo, o Unigênito, o Primogênito, entre outros.


A mesma Bíblia exorta a que conheçamos a Jesus Cristo: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (II Pedro 3:18) e também diz: “Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Efésios 4:13).


A Palavra de Deus aponta o caminho do conhecimento da Pessoa de Jesus Cristo, pois Ele é o tudo de Deus. “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. Colossenses” (1:15 a 17).


Jesus Cristo está no comando de tudo e nada foge ao seu controle.Ele é o motivo pelo qual Deus criou todas as coisas e tudo quanto foi criado o foi por intermédio dele e para Ele. Aos olhos de Deus existe apenas Cristo. Ele apenas contempla Cristo. Aos nossos olhos existem muitas situações, assuntos e coisas, mas aos olhos de Deus, Cristo é tudo. E nós fomos criados e chamados por Deus para algo muito especial e que nos garante muita alegria: “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor” (I Coríntios 1:9).


Isso é maravilhoso! Ter comunhão com o tudo de Deus é algo que não podemos compreender, mas pela graça de Deus e pela fé concedida por ele, podemos adentrar nessa comunhão e nunca mais sermos a mesma pessoa, pois Cristo se torna em nós o que nunca seríamos com nosso próprio esforço, isto é, “raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (I Pedro 2:9).


Porém é necessário dizer que para chegarmos pela graça a esse ponto de comunhão e intimidade com nosso Senhor Jesus Cristo, é primeiramente essencial “o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos” (Filipenses 3:10-11).


O anjo do Senhor, quando apareceu em sonho para José, deixou bem claro que o que foi gerado em Maria era do Espírito Santo e “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu po