top of page

FRUTO DO ESPÍRITO


(Gálatas 5:22-24)

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.


EXPLICAÇÃO:


A Bíblia Sagrada ensina que o cristão, isto é, aquele que tem a vida de Cristo, e em quem Cristo vive, crucificou a carne "… com as suas paixões e concupiscências"

(Gálatas 5:24).


Algumas vezes

as pessoas não entendem tais instruções e pensam que a vida de um cristão é vazia, despojada de todo o prazer. Mas Deus não tem intenção de deixar um vazio, de tornar nossas vidas um vácuo sem significado.


Quando a Bíblia diz

que a natureza do pecado foi morta e sepultada, isto teve um objetivo, que foi remover a fonte que gerava o pecado. Daí a afirmação de Romanos 6:7: quem morreu, está justificado do pecado. A Bíblia ensina também que Deus provê coisas muito melhores ­ para encher nossas vidas e fazê-las mais ricas. Por exemplo, quando o apóstolo Paulo disse a Timóteo: “Foge, outrossim, das paixões da mocidade”, ele imediatamente acrescentou esta instrução positiva para encher o vazio: "Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor" ( II Timóteo 2:22).


A recomendação do apóstolo mostra que Timóteo devia andar conforme a justiça, a fé, o amor e paz, não conforme o modelo do mundo; e andar com aqueles que de coração puro invocam o Senhor. Isto quer dizer, andar de acordo com o modelo traçado pela Palavra de Deus; andar com aqueles que professam a mesma fé, que seguem o mesmo SENHOR, que temem ao SENHOR e não se assentam à roda dos escarnecedores, que não cultuam outros deuses e que andam na vaidade dos próprios pensamentos. Não! Segundo a recomendação do apóstolo não é para andar com estes.


De acordo com ao apóstolo e a Bíblia toda registra que o cristão anda com Deus, assim como Noé andou:Porém Noé achou graça diante do SENHOR. Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus (Gn.6:8-9).


Este é o modelo a ser perseguido

por todo cristão: Fazei tudo sem murmurações nem contendas, para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo, preservando a palavra da vida, para que, no Dia de Cristo, eu me glorie de que não corri em vão, nem me esforcei inutilmente (Filipenses 2:14-16).


O texto que estamos meditando da carta aos gálatas torna esta distinção muito clara. Uma vez crucificada a carne, suas paixões e desejos, a natureza que gera o pecado é removida, consequentemente suas obras também (versículos 19-21). Mas o apóstolo Paulo não para por aí. Agora ele passa a descrever o "fruto do Espírito" (versículos 22-23). Aqueles que vivem no Espírito devem andar no Espírito.


É UMA ORDEM: ANDAI!

O Espírito Santo vai desenvolver cada uma destas qualidades como parte integrante de nossa personalidade. O fruto do Espírito tem que ser produzido na vida de cada seguidor de Cristo. Consideremos as nove características do fruto do Espírito, para ajudar-nos a desenvolver estas atitudes quando procuramos viver e andar no Espírito.


O Fruto do Espírito (Gálatas 5:22-23)


FUNDAMENTAÇÃO:


(1) Amor (22) é o amor puro, desprendido, sacrificial, que Deus mostra para conosco. A única maneira de aprendermos a exercitar este amor é olhando para seu exemplo. Em 1 João 4:7-12, lemos: "Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus em nós; em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.


Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é, em nós, aperfeiçoado."


Este amor sempre procura o melhor para aqueles que são amados.Deus procurou o melhor para nós quando deu seu Filho. O esposo que ama sua esposa procura cuidar dela e protegê-la, até ao ponto de sacrificar sua vida para salvá-la (Efésios 5:25). O discípulo que ama Cristo obedece a tudo que o Senhor ordenou (João 14:15). O seguidor de Cristo que ama seus inimigos não procura destruí-los, mas ajudá-los e salvá-los (Mateus 5:43-48).


Não há maior desafio nas escrituras do que amar como Deus ama. Em contraste com as paixões da carne, vazias e passageiras, este amor é eterno (1 Coríntios 13:13).


O AMOR DE DEUS


(Deuteronômio 7:6-8)

Porque tu és povo santo ao SENHOR, teu Deus; o SENHOR, teu Deus, te escolheu, para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra. Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos, mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos resgatou da casa da servidão, do poder de Faraó, rei do Egito.



Segundo o dicionário da língua portuguesa e em qualquer outro dicionário vamos encontrar a seguinte definição para amor:


AMOR:1 Sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem.

2- Sentimento de dedicação absoluta e entrega de um ser a outro.

3- De Luiz de Camões: “Amor é um fogo que arde sem se ver”.

Amor à primeira vista, amor carnal, amor físico, amor platônico, só no ideal, sem aproximação física e Amor de Deus.


AMOR = Vemos que o filólogo ao descrever o significado do substantivo amor, o faz como sendo: Afeição profunda. Conjunto de fenômenos cerebrais e afetivos. Afeto a pessoas ou coisas.


Os gregos, que traduziram o substantivo AMOR, deram-lhe três significados: EROS: De onde resulta a palavra erótico, que significa sentimentos baseados na atração sexual. É o amor destinado ao objeto desejável, adorado, especialmente para o amor entre o homem e a mulher. Daí vem a derivação de erótico, erotismo, etc., ligado à sensualidade.


PHILOS ou PHILEO: Baseado na fraternidade, amor recíproco, amor condicional. Amor phileo, refere-se ao amor amizade, entre as pessoas de um modo geral.


Finalmente, amor ágape. A Bíblia Sagrada trata deste último, do amor Ágape: Traduzido por comportamento incondicional, não por sentimento. O amor de Deus é ação, conduta, comportamento e não sentimento. Este amor ágape é derramado no coração regenerado pelo Espírito Santo: Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.


Na lista enumerada em I Coríntios 13, não encontramos sentimento em nenhuma das descrições, mas sim, AÇÃO, DOAÇÃO, ENTREGA e DEDICAÇÃO. Esta ação de Deus, doação, entrega e dedicação é sintetizada pelo apóstolo Paulo em Romanos 5:5. E em I Cor.13 se fôssemos resumir numa frase, seria: Amor é o que o amor faz. Isto quer dizer, o amor em movimento, não estático, inerte, paralisado ou engessado, mas que manifesta vida, expressa conduta e busca resultado.


Ágape. Característica e essência do Amor de Deus (1João 4:8) e o que Ele manifestou na dádiva de Seu Filho (João 3:16). Ágape é mais que afeição mútua; expressa a valorização altruísta no objeto amado. O Amor de Cristo por nós, imerecido e não tem exigências de retorno, é incondicional, não depende da resposta do homem. Deus ama porque Ele é amor. O amor dos cristãos deve ser o mesmo, incondicional.


Ágape é o amor divino. Eros é o amor dos amantes. Phileo é o amor dos amigos. Ágape é o amor mais resistente. Eros é o amor mais intenso. Phileo é o amor mais singelo. Ágape é o amor eterno. Eros é o amor efêmero. Phileo é o amor perene. Ágape é o amor para o outro. Eros é o amor pelo outro. Phileo é o amor com o outro.


O VERBO AMAR significa DOAR. Doar-se a si mesmo em benefício de outrem. Isto acarreta sacrifícios, dedicação e entrega. Isto foi o que Jesus demonstrou quando se doou na cruz em nosso benefício (Hb.10:10).


CARACTERÍSTICAS DESSE AMOR:

1- Ele é inalterável, não muda, não depende das circunstâncias (João 13:1).

2- Ele é divino (João 15:9)

3- Ele é sacrificial (João 15:13).

4- Ele é inseparável (Rm.8:35).

5- Ele é constrangedor (II Cor.5:14).

6- Ele pressupõe a entrega (Gl.2:19-20)

7- Ele é fruto do Espírito Santo (Gl.5:22).


CONCLUSÃO SOBRE O AMOR


O AMOR DE DEUS É:


1- Iniciativa divina (Deut.7:6-8).

2- Manifestado na atração (Jr.31:3; João 12:32).

3- Demonstrado na salvação (João 3:16; 1João 4:9-10).

4- Provado na morte (Rm.5:8).

5- A razão de nossa salvação (Ef.2:4-7).

6- Nos coloca na condição de filhos (1João 3:1).

7- É derramado no coração do regenerado pelo Espírito Santo (Rm.5:5).

8- É mandamento (João 13:34-35).


O amor de Deus não se resume em sentimento, mas se expressa em ação, doação, entrega, conduta, atitude concreta e sacrificial para atender a necessidade do ser humano; o doador se doando em favor do donatário, sem condição, imposição ou reservas.


O SENHOR te abençoe e te guarde debaixo deste amor que tudo dá e nada espera em troca.


(2) Alegria (22) descreve o privilégio de regozijar em Cristo, apreciando as maravilhosas bênçãos de nossa relação com ele. Esta alegria não é dependente de nossas circunstâncias físicas. Dinheiro não compra esta alegria. Um dos livros do Novo Testamento que fala mais claramente sobre alegria foi escrito por um homem que sofreu muito. Enquanto ele estava na prisão, onde às vezes lhe faltava o essencial, Paulo escreveu a seus irmãos em Filipos: "alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos" (Filipenses 4:4; veja também 3:1; I Tessalonicenses 5:16).


É um erro e engano fatal pensar que a felicidade depende das circunstâncias. Até mesmo muitas igrejas falam tanto de saúde física e bênçãos materiais que dão a impressão de que essas coisas são necessárias à felicidade ou que a felicidade depende delas. A prosperidade física é nada mais do que um substituto barato e temporário para a alegria real que encontramos em Cristo. Os verdadeiros cristãos não consideram cada provação e dificuldade como um sinal de infidelidade ao Senhor, mas percebem que tais provações são ocasiões para alegria e oportunidades para crescimento espiritual (Tiago 1:2-4). Nossa alegria vem de Cristo, que é totalmente suficiente, não da temporária prosperidade material.


(3) Paz (22) é a sensação de bem-estar e tranqüilidade que resulta de nossa amizade com Deus. Numa de suas horas mais difíceis, Jesus falou com seus apóstolos a respeito de sua partida. Ele tinha que ir embora, para completar sua missão. Mas o próprio pensamento desta partida afligia profundamente os apóstolos. Nesse contexto, ele lhes deu esta segurança: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" (João 14:27). Jesus não está fisicamente presente neste mundo, mas em Espírito e nos deixou sua paz!


O apóstolo Paulo diz que Cristo é a nossa paz (Efésios 2:14-15): Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz….


Isto significa que a paz tem nome e é um homem: JESUS! Vivendo no coração regenerado, na natureza trocada, semelhante à natureza divina.


(4) Longanimidade (22) é a capacidade de pensar antes de agir. Deste modo, demonstramos paciência e perseverança. Por causa da sua longanimidade, Deus tem dado tempo suficiente ao homem para se arrepender de seus pecados (2 Pedro 3:9,15). Ele não quer condenar ninguém, então procura a reconciliação com cada pecador. Paulo nos diz que a mesma atitude deveria governar nossas relações com nossos irmãos (Efésios 4:1-2). Em vez de escapar com raiva ou agir despeitadamente para ferir aquele que nos feriu, deveríamos pacientemente mostrar nosso amor e procurar reconciliar com essa pessoa. Tal atitude melhorará nossas relações em todos os aspectos. Você pode imaginar como poderiam as igrejas e famílias serem mais fortes e mais felizes se cada membro praticasse a longanimidade verdadeiramente?


(5) Benignidade (22) é a bondade de Deus, que é melhor ilustrada por suas ações para nos salvar quando estávamos profundamente enterrados no pecado. Paulo mostra este ponto em Tito 3:3-7. Deus nos viu em pecado, como escravos de todo tipo de desejo ruim e totalmente incapazes de nos salvarmos. Por causa de sua benignidade e amor, ele nos abençoou ricamente através de seu Filho e do Espírito Santo e resgatou-nos do pecado. Agora, em vez de sermos escravos, somos herdeiros, com uma esperança de vida eterna! É assim que Deus mostra benignidade. Temos que imitar tal bondade, mesmo para com nossos inimigos!


(6) Bondade (22) é semelhante a benignidade. Esta palavra ressalta a generosidade em dar mais do que alguém merece. É a palavra que Jesus usou para descrever o homem que pagou ao seu empregado mais do que seu trabalho realmente valia (Mateus 20:15). Os cristãos não devem ser pessoas avarentas, para não perderem a capacidade de ser generosas e dar mais do que uma pessoa realmente merece. Deus é generoso para conosco. Podemos e devemos ser generosos para com outros.


(7) Fidelidade (22) é a lealdade que mantém sua palavra, cumpre suas promessas e não trai os outros. Empregados devem mostrar esta qualidade em seu trabalho (Tito 2:10). Aqueles que ensinam o evangelho têm que mostrar fidelidade no uso da palavra, percebendo que serão julgados por Deus (I Coríntios 4:1-4).


(8) Mansidão (23) é algumas vezes confundida com fraqueza e timidez, mas esta qualidade nunca é fraca. Mansidão, ou brandura, é a força sendo dominada. Moisés e Jesus eram mansos, mas mostravam força para enfrentar as autoridades poderosas de seu tempo e condenar claramente seus pecados. O cristão tem que mostrar sua sabedoria com mansidão (Tiago 3:13). Esta é a atitude da submissão humilde, dominada, com a qual temos que meditar na Palavra de Deus (Tiago 1:21). É a atitude que os seguidores de Cristo têm que mostrar quando um irmão está em falta ou comete um erro qualquer (Gálatas 6:1; II Timóteo 2:24-26).


(9) Domínio próprio (23) é a capacidade de governar nossos próprios desejos. Diferente da pessoa que anda na carne, como um escravo de paixões pecaminosas, o cristão deve manter o domínio próprio (II Pedro 1:6): com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança a piedade... Esta característica nos capacita a negar os desejos carnais, pois a carne e suas paixões estão crucificadas com Cristo. A pessoa na qual o Espírito Santo produz o domínio próprio aprende a se dominar e é capaz de vencer os vícios e maus hábitos que governam as vidas de muitas pessoas que continuam a andar na carne.


CONCLUSÃO:


Vivendo e Andando no Espírito

As obras da carne (Gálatas 5:19-21) são todas contra a vontade de Cristo, o fruto do espírito é inteiramente lícito:"Contra estas cousas não ha lei" (23).


E por que não há lei?

Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus (Romanos 7:4).


O apóstolo Paulo encerra esta parte da carta aos gálatas (v.24) relembrando-nos que aqueles que pertencem a Cristo crucificaram as paixões da carne. Os cristãos vivem e andam no Espírito, demonstrando as qualidades reveladas nas Escrituras como características piedosas de verdadeiros cristãos. Procuremos todos compreender estas qualidades para que possamos viver e andar no Espírito, com Jesus e com Deus, agora e eternamente! Amém e amém!


O SENHOR, na sua infinita graça, nos abençoe, nos guarde, nos livre das obras da carne e nos preserve na frutificação mediante o Espírito Santo, para a glória dEle, em nome de Jesus!



Amém e amém!!!!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Blogger Social Icon
<