top of page

O Julgamento antecipado por Deus na cruz Em Jesus Cristo!


Romanos 8.1-3


Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado. Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo (II Coríntios 5:16).


EXÓRDIO:


Produzindo Provas

Existe uma figura jurídica em matéria processual civil denominada: Julgamento antecipado da lide. Vamos definir primeiro o conceito de lide. O conceito jurídico de lide, significa conflito de interesses. É a pretensão de alguém contrariada pelo interesse de outrem. Aí surge o conflito. E quando este conflito chega ao conhecimento do juiz mediante uma petição elaborada por um profissional do Direito, o juiz aprecia a petição e após dar a oportunidade para que a parte contrária se defenda – exerça o sagrado direito de defesa assegurado pela Constituição Federal -, então ele verifica se há necessidade de produzir provas.


Contrariando o outro

Em não havendo a necessidade de produção de provas, a lei processual civil diz que o juiz pode julgar antecipadamente a lide, ou o conflito de interesses para dizer quem tem razão. Em outras palavras, o conflito de interesses se estabelece sempre que alguém resiste a pretensão de outrem. Se opõe à vontade de outra pessoa. Alguém tem seus interesses contrariados por outrem.


FUNDAMENTAÇÃO:


Fazendo Justiça

Em matéria espiritual, vimos pelo texto lido que houve um julgamento antecipado feito por Deus na cruz em Cristo: com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado Rm.8:3 final do versículo. Se houve condenação é porque houve prévio julgamento. A condenação é resultado de um processo que leva ao julgamento, cujo escopo ou finalidade é aplicar a lei e fazer justiça.


Justiça na Cruz

Em matéria bíblica, e isto é o que nos interessa analisar, a Bíblia Sagrada registra que Deus fez justiça na cruz em Cristo: Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus (II Coríntios 5:21). De acordo com a Bíblia, este juízo antecipado por Deus foi proclamado no Jardim do Éden e executado na cruz em Cristo, porquanto: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este (Cristo) te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn.3:15).


A Primeira Mensagem

O Senhor Deus pregou ao diabo a primeira mensagem sobre o novo nascimento e antecipou o julgamento como resultado daquele conflito de interesses surgido ali, na origem de todas as coisas, nos primórdios dos tempos e da vida neste planeta.


A ORGIEM DO CONFLITO:


Certamente morrerás!

Como foi que surgiu o conflito no Jardim do Éden? Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás (Gn.2:15-17).


A primeira mentira!

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis (Gn.3:1-4).


O conflito!

Assim se instalou o conflito de interesses ou o surgimento da lide, quando a pretensão de Deus foi contrariada pela resistência de Eva ao desobedecer o comando Divino. Também, quando a ordem Divina foi oposta pela astúcia de Satanás, ao incutir na mente e na vontade de Eva que não morreria se comesse da árvore do conhecimento do bem e do mal, Satanás a induziu e a levou a se rebelar contra a Palavra de Deus, aí temos o conflito de interesses ou o surgimento da lide.


A Palavra não volta atrás!

E a Bíblia Sagrada afirma que a Palavra de Deus não torna atrás e não volta para Ele vazia: Por mim mesmo tenho jurado; da minha boca saiu o que é justo, e a minha palavra não tornará atrás. Diante de mim se dobrará todo joelho, e jurará toda língua (Isaías 45:23). Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e a façam brotar, para dar semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei (Isaías 55:10-11).



Cumprindo Sua Palavra

O conflito de interesses ou a lide se instalou no Jardim do Éden e como Deus cumpre o que fala, não poderia deixar barato ou por menos e não deixaria impune a ação de Satanás implementada na vida humana; por isso Ele antecipou o julgamento.



A PROVIDÊNCIA DIVINA:



Destruindo a obra malígna!

Aquela obra satânica precisava ser desfeita, desmanchada, aniquilada e destruída. O SENHOR Deus encontrou um meio, uma forma e um jeito para neutralizar os efeitos daquele mal. Cristo pregado na cruz: Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo (I João 3:8).



Triunfando na cruz!

E mais, Cristo triunfou na cruz, publicamente desprezou, humilhou, despojou os principados e as potestades. E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz (Colossenses 2:13-15).


Livres da Escravidão!

Ainda, de quebra nos livrou do pavor da morte, para que vivamos livres de sua escravidão, já, aqui, no presente século e por toda a eternidade.Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida (Hebreus 2:14-15).


A Verdadeira Cura

Vemos que o método divino para desfazer obra maligna é através de Cristo na cruz é o pecador crucificado com Cristo. Ao contrário das obras de feitiçarias, bruxarias e outras tantas “ias” do mundo da magia negra, que se tentam desfazer obras malignas combatendo com o poder de Satanás, tentando expulsar Satanás pelo poder de Satanás, Deus nos livra da obra maligna através de Cristo na cruz.



Livre da Lei do Pecado e da Morte

Todo aquele que é alcançado por esta graça e recebe a revelação desta obra, passa a viver como está escrito em Gálatas 2:19-20: Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim, e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.



Lutando contra a vontade da carne

A Obra consumada por Cristo na cruz está em constante conflito com as obras da carne: Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer (Gálatas 5:17). Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais vos preveni que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam (Gl.5:19-21).


A Justiça.. Jesus Cristo

O episódio do Jardim do Éden introduziu o pecado no mundo: Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram (Romanos 5:12). Mas a Bíblia registra que esta grave ofensa à Deus, esta afronta e transgressão à Sua Palavra foi obstaculizada pela justiça executada por Deus em Cristo na cruz: Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida (Romanos 5:18).


O cordeiro que "tira o pecado" do mundo

O pecado entrou no mundo por um só homem, mas ele também saiu do mundo por um só homem: No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! (João 1:29). O apóstolo Paulo reconhecendo e crendo nesta obra de salvação e redenção escreveu o seguinte: Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna (Romanos 6:22).



o Apocalipse..

O próprio apóstolo João, na ilha de Patmos, quando exilado, recebeu de Jesus a ordem para escrever o Livro de Apocalipse e fez o seguinte registro: João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue nos libertou dos nosso pecados (Ap.1:4-5). A Bíblia apresenta a forma como Deus resolveu este conflito, antecipando o Seu julgamento: E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo. Isto dizia, significando de que gênero de morte estava para morrer (João 12:32-33).


A Cura!

Naquela cruz Jesus levou consigo o nosso homem velho para desfazer este conflito de interesses ou a lide que surgiu no jardim do Éden: sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, e não sirvamos ao pecado como escravos. Porquanto, quem morreu está justificado do pecado (Rm.6:6-7). Como Cristo foi crucificado, a Palavra de Deus afirma que nós também fomos crucificados com Ele a fim de nos vermos livres da natureza pecaminosa.


O Médico..

Jesus carregou em Seu Corpo na cruz os nossos pecados a fim de morrermos para os pecados e vivermos para Deus: Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos aos pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas fostes sarados (I Pedro 2:24).



E assim Deus antecipou o seu julgamento, dando-nos oportunidade de salvação.



O JULGAMENTO ANTECIPADO POR DEUS NA CRUZ:


Estamos Livers Em Cristo Jesus

Ao fazer a afirmação de que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo. A Bíblia Sagrada está garantindo que no Corpo de Cristo naquela cruz Deus julgou antecipadamente a lide ou o conflito que nasceu no Jardim do Éden e por isso todo aquele que crê que foi atraído no Corpo de Cristo não enfrentará o julgamento do dia do juízo. E isto porquê: porquanto quem morreu está justificado do pecado (Romanos 6:7). É a morte no Corpo de Cristo que nos livra da condenação eterna e do juízo vindouro.



O dia do Senhor ...

Porque, a contrário senso, veja o que a Bíblia está afirmando em Isaías 13:9: Eis que vem o Dia do SENHOR, dia cruel, com ira e ardente furor, para converter a terra em assolação e dela destruir os pecadores. Ninguém se engane, porque a Bíblia garante que Deus não tem comunhão com o pecador e os pecadores serão destruídos. E mais, os pecadores vivem separados da vida de Cristo e da comunhão com Deus: Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça (Isaías 59:1-2).



Andando no Senhor

O conflito instalado no Jardim do Éden fez surgir a geração adâmica, estigmatizada pelo pecado oriundo da transgressão à Palavra de Deus, rebelde, sem a vida de Cristo, sem a natureza divina, destituída da graça e da glória de Deus. "Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza" (Efésios 4:17-19).


O PECADO

Não é demais relembrar o que já lemos anteriormente: Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo (I João 3:8). Deus antecipou o Seu julgamento na cruz em Cristo para que nós pudéssemos ter vida abundante e assim não enfrentarmos o julgamento do último dia, o juízo e a ira de Deus.


Livre da condenação

Quem crê na Obra do Calvário e experimenta o Novo Nascimento, está livre da condenação, quem não crê experimentará o juízo de Deus:Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más(João 3:17-19).


CONCLUSÃO:


Nascendo de vovo

Ao impor o julgamento antecipado da lide. Ao resolver o conflito de interesses que surgiu no Jardim do Éden, Deus antecipou a entrada no Seu Reino mediante o Novo Nascimento: A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus(João 3:3).



Família de Deus

Daí em diante todo aquele que se identifica com a Obra do Calvário, passa a ser um cidadão do céu e pertencer à família de Deus: Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus (Efésios 2:19).



O julgamento final...

Esse cidadão do céu, pertencente à família de Deus está livre da condenação porque já foi condenado à morte para o pecado no Corpo de Cristo na cruz do calvário. Quem assim não crê enfrentará o julgamento final, será julgado consoante as suas obras e o destino da alma será outro, o resultado será diferente: Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros. Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados, um por um, segundo as suas obras. Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lado de fogo (Apocalipse 20:11-15).


A segunda morte..

O julgamento antecipado de Deus em Cristo foi para nos introduzir no Seu Reino. O julgamento final será para mandar os incrédulos para o lago de fogo, pois não creram no primeiro julgamento, antecipado na cruz em Cristo. Assim o SENHOR, na sua infinita graça e misericórdia não permita que nenhum dos que ouvirem ou lerem esta mensagem enfrente o segundo julgamento ou a segunda morte, mas lhes dê graça e misericórdia para crerem no julgamento antecipado na cruz em Cristo.


Amém e amém!!!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Blogger Social Icon